quarta-feira, 27 de maio de 2015


quinta-feira, 21 de maio de 2015

Dá valor a quem,  perante uma fase menos boa, ache que vale a pena ser paciente e esperar porque está certo que melhores dias ao teu lado virão. E na maioria das vezes eles virão mesmo.
Não desistas de alguém que nunca desistiu de ti....
Se estás conformado só te falta mesmo ser sepultado.Mais do que as doenças, mais do que a crise económica, mais do que as derrotas que todos os dias acontecem, o grande drama do mundo é a conformação. A total e absoluta (e triste, tão triste) conformação. A conformação é a ausência de sonhos, a ausência de objectivos, a ausência de projectos, a ausência de vontades: a ausência de revolução. E há cada vez menos revolução no mundo. Se não há revolução podes ser tudo; mas feliz é que não.O problema do mundo não é a massificação; é a masificação.A massificação do “mas”. O problema do mundo é linguístico. O problema do mundo não são as convulsões; são as conjunções. A obsessão, diabólica, pelo porém, pelo contudo, pelo todavia. Porém mas é o caralho. Contudo mas é o caralho. Todavia mas é o caralho. Noventa e oito por cento das pessoas dizem “mas” sempre que falam; e as outras duas por cento são felizes. Por mais que tenham dificuldades (e têm tantas, tantas tantas), por mais que por vezes pareça que não vai dar para chegar lá (e são tantas vezes, tantas tantas). Por mais que tudo lhes diga “mas”, há sempre pessoas que não se conformam.O grande segredo para estares vivo é, por mais evidente que pareça, só morreres quando fores sepultado.Até lá, tens a obrigação de sonhar, de projectar, de acreditar. Até lá tens a obrigação de tentar. Pelo menos isso: tentar. E nunca é tarde para tentar. Se tens oitenta anos e queres ainda sentir o orgasmo melhor da tua vida: vai; tenta. Se tens noventa anos e queres ainda escrever o livro a tua vida: vai; tenta. Se tens cem anos e queres ainda encontrar a mulher que vais amar: vai; tenta. O mais provável até pode ser não o conseguires. Mas só o improvável vale a pena. Até a felicidade, se for previsível, é uma tristeza.Acreditar no improvável é, provavelmente, a melhor decisão que podes tomar na vida.E ver. Arrisca ver. Ver de verdade. Ver o que só tu consegues ver. Tu vês coisas que mais ninguém vê; eu vejo coisas que mais ninguém vê. Toda a gente vê coisas que mais ninguém vê. E é dessas visões que eu tenho e tu tens que se faz a evolução do mundo. O mundo só avança quando essas visões se transformam em execuções: em actos reais, em matéria palpável. Acreditares no que vês e arriscares apostar no que vês é a única forma de altruísmo que o mundo te dá a executar. Aposta no que é só teu. É só assim que estarás a apostar em tudo o que é nosso.O mais cego não é o que não vê; nem sequer é o que não quer ver. O mais cego é o que só vê.

Pedro Chagas Freitas in "Prometo Falhar"

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Um dia vou abrir-te o coração...

Um dia vou abrir-te o coração.
Um dia vou abrir-te o coração e fazer-te sentir que o amor existe e pode ser eterno.
Um dia vais perceber que a felicidade pode ser eterna e que eu posso fazer parte dela.
Um dia vais perceber que a palavra família faz todo o sentido e vais-te arrepender de não o teres percebido antes.
Um dia encontrarás o verdadeiro significado da lealdade e fidelidade.
Um dia deixaremos de ter a tua e a minha vida e passaremos a ter a nossa vida.
Um dia o teu coração será apenas meu e o meu apenas teu e juntos encontraremos o verdadeiro significado da palavra amor.


domingo, 10 de maio de 2015

Tenho saudades...

Tenho saudades!
Tenho saudades de te olhar, de sentir o teu cheiro, de te tocar. De me rir que nem uma louca mesmo sabendo que às vezes te irrita tanto.
Tenho saudades de olhar para os teus olhos e de falar com voz de menina mimada.
Tenho saudades dos teus lábios que me consomem a alma e dos abraços que me fazem sentir ainda mais pequenina.
Tenho saudades das nossas conversas, da nossa amizade e da nossa cumplicidade.
Tenho saudades do teu coração mesmo sabendo que ele anda num turbilhão.
Tenho saudades de ti e só de ti.


segunda-feira, 4 de maio de 2015

Dei-te o melhor de mim...

Não sei se um dia amei, nem sei um dia descobrirei o que é o amor. Achava eu que amava quando afinal confundi amor com submissão e com comodismo, não sei se lhe posso chamar de comodismo, talvez insegurança, medo do futuro...
Foram 8 anos de vida em comum, mas cheguei à conclusão que só o primeiro ano me trouxe alguma felicidade, as discussões eram diarias, o medo era diário, tal como a violência psicológica. "Tu sem mim não vales nada! " e assim foi... Mesmo sabendo o tipo de pessoa que vivia comigo, dependente de haxixe, bipolar, 4 anos depois veio o casamento, o mais bonito dos casamentos, tal como dizem as pessoas, numa quinta lindíssima, luxuosa, com direito a tudo, o melhor dos casamentos! Hoje chego à conclusão que preferia, não ter tido um casamento de princesa, não ter tido o melhor dos casamentos, mas ter sido feliz! Fachada foi o que foi!
Eu acreditava no amor e achava que o tinha encontrado, lutei até ao último minuto para aguentar aquele casamento e porque era bonito estar casado perante a sociedade, fachada foi o que foi!
O que é que as pessoas vão pensar, mais uma divorciada e a merda do estatuto que nos é dado no BI, e quando vamos a algum lado e nos perguntam o nosso estado civil e entre os dentes nos sai um "div" e do outro lado pensam. "Oh coitada!" Ou então " Puff mais uma!" E a família, meu Deus a família o que vai pensar... Fachada é o que é...
Enuqanto sofremos no nosso dia a dia, quando nos insultam, quando temos medo de ir para casa, por não sabermos o que nos está reservado, ninguém se preocupa, mas sempre que é para apontar o dedo, saem pessoas de todos os lados e ignoram se estamos bem ou se estamos mal, ou se por acaso eramos mal tratados e todos nos lembram " oh mas o casamento foi tão bonito!" Fachada foi o que foi....

Um dia ainda vou amar e ser amada, não me quero casar, não quero festas, mas quero dar o melhor de mim e receber o melhor de alguém, um dia hei-de perceber que o amor é mais do que uma fachada, é real e puro, é mais do que belos presentes, mas feito de pequenas surpresas, o chocolate que ele viu e que era o nosso preferido, a flor que ele viu num jardim e o fez lembrar de nós, o olhar que nos revela o que lhe vai na alma. O amor é feito de coisas simples, de gestos simples, de cumplicidade. O amor é o amor e um dia vou encontrá-lo....

D.